Cronologia espírita-esperantista

(Fragmentos da compilação “Cronologia Espírita”, de CARLOS ALBERTO IGLESIA BERNARDO).

Os ideias humanitários associados ao ESPERANTO logo atraíram muitos espíritas que acabaram levando aos seus respectivos grupos espíritas a esperança de uma língua universal. Desse modo é muito comum encontrar-se em grupos espíritas cursos de ESPERANTO e que diversos livros espíritas tenham sido traduzidos para esse idioma. Não se pode também esquecer que no outro sentido também ocorreram muitas adesões, ou seja, muitos esperantistas foram atraídos pela doutrina espírita e deram valiosa contribuição a sua propagação.

1887 – 26 de julho – Polônia

Lázaro Luíz Zamenhof (1859-1917) de Bialystok, publica sob o pseudonimo D-ro Esperanto a obra “Lingvo Internacia, Antaüparolo kay Plena Lernolibro” em que define um nova lingua para uso internacional. O pacifista Zamenhof propôs uma língua neutra, de fácil aprendizado e que permitisse a todos o domínio de uma segunda língua, além da natal, para comunicação internacional. O fato da língua ser neutra, isto é, não pertencente a nenhum povo ou raça em particular, colocaria todos os seus falantes em condições de igualdade, ajudando portanto a uma convivência pacífica entre os povos. Devido ao pseudonimo adotado em seu livro, a língua tornou-se conhecida como ESPERANTO.

1890 – Boêmia, Republica Checa

Francisco Valdomiro Lorenz (1872-1957) publica seu primeiro livro, “Plena Lernolibro de Esperanto por Cehoj”, dedicado ao ensino do Esperanto. O autor era Espírita, Esperantista e defendia idéias políticas democráticas, o que o obrigaria logo após a publicação do livro a deixar o seu país (1891), então sob o domínio do império Austro-Húngaro, e emigrar para o Brasil. Conhecedor de mais de 80 idiomas, antigos e modernos, não só trabalhou ativamente na tradução de obras espíritas e espiritualistas para o Esperanto (a partir de 1937 colaborando com o Departamento de Esperanto da Federação Espírita Brasileira – é de sua autoria a excepcional tradução do texto hindu “Bhagavad-Gitá”), como também escreveu livros próprios sobre Espiritismo, Espiritualismo e Esperanto. Não se poderia deixar de citar o “Esperanto sem Mestre”, utilizado como livro introdutório na língua internacional por grande número de espíritas brasileiros.

1904 – 19 de março – Minas Gerais, Brasil

Inicio da divulgação do Esperanto no Brasil, com o aparecimento nas livrarias do primeiro livro em português destinado ao ensino da língua internacional – a tradução feita por A. Caetano Coutinho do livro do Prof. Théophile Cart, “Premières leçons d’Esperanto” – e, em seguida, do primeiro curso ministrado por Caetano Coutinho a colegas da “Escola de Farmácia de Ouro Preto” e amigos.

1905 – Agosto Boulogne-Sur-Mer, França

Primeiro Congresso Universal de Esperanto onde 700 adeptos de varias partes do mundo comunicaram-se utilizando a língua universal do D-ro Esperanto. O sucesso desse primeiro congresso provou a viabilidade de uma língua auxiliar neutra que servisse de instrumento de comunicação 6 entre os povos. Neste congresso foi aprovado o livro de Zamenhof, intitulado “Fundamento de Esperanto”, em que se estabeleciam as bases da língua (Declaração sobre o Esperantismo). O livro continha as 16 regras gramaticais (1887), o conjunto de exercícios fundamentais (1894) e o Vocabulário Universal (1893).

1907 – Rio de Janeiro, Brasil

Realiza-se o “1.o Congresso Brasileiro de Esperanto” a que se segue a fundação da “BRAZILA ESPERANTO-LIGO” (Liga Esperantista Brasileira).

1908 – França

É publicado o artigo “O Esperanto e o Espiritismo” de Camillo Chaigneau, na revista de Gabriel Delanne (1857-1926), também reproduzido no periódico “La Vie d’Outre-Tombe” de Charleroi.

1909 – 15 de fevereiro – Rio de Janeiro, Brasil

Aparece pela primeira vez na Revista Reformador um artigo sobre o Esperanto, “O Espiritismo e o Esperanto”, com uma pequena apresentação e uma tradução do texto publicado em 1908 de Camillo Chaigneau : “(…) Pensando na quantidade de factos que a nós espíritas nos escapam por falta de tradução, na demora que essa mesma tradução

traz á nossa documentação, parece que o Espiritismo deve ter todo o interesse em constituir uma revista central em que os fatos mais salientes possam agrupar-se, graças a uma língua comum a todos os países. É preciso, pois, que o Espiritismo aproveite dessas vantagens. Somente o fato de se servir do Esperanto estabelece um laço fraterno entre todos os esperantistas, e favorece a intercomunicação das doutrinas escritas ou faladas. É de absoluta utilidade para toda ideia sincera (…)”

1937 – 1 de março – Rio de Janeiro, Brasil

Fundado na FEB, por sugestão do Prof. Ismael Gomes Braga, o Departamento de Esperanto. Destinado a publicar obras doutrinárias na língua internacional, esse departamento teve, e continua tendo, importante papel na divulgação do Esperanto nos meios espíritas brasileiros e na divulgação da Doutrina Espírita através do Esperanto.

1940 – 19 de janeiro – Minas Gerais, Brasil

O espírito Emmanuel transmite através do médium Francisco Cândido Xavier mensagem endereçada a Ismael Gomes Braga, grande propagandista da causa Esperantista, em que tece comentários a respeito da importância do Esperanto e de seu papel nos planos da Espiritualidade maior. A mensagem de Emmanuel teve grande repercussão, inclusive incentivando outros autores espirituais a se manifestarem sobre o tema. Merece ser destacado que na época em que a mensagem foi transmitida o Esperanto parecia destinado ao fracasso. A II Guerra Mundial não só trazia enormes baixas ao combalido movimento, que desde 1914 sofria reveses na Europa, como parecia demonstrar a inutilidade dos esforços para uma aproximação entre os povos. Grande número de Esperantistas, entre eles a viúva e os filhos do Dr. Zamenhof, tombavam nos campos deextermínio nazistas; muitos outros eram vítimas dos diversos regimes ditatoriais que dominavam o velho continente.

1943 – Janeiro – Rio de Janeiro, Brasil

Publicada pela FEB a tradução em Esperanto do “O Livro dos Espíritos” (La Libro de la Spiritoj), traduzida do Francês pelo Prof. L. C. Porto Carreiro Neto (1895-1964). O Prof. Porto Carreiro, médium conhecido pelas poesias psicografadas diretamente em Esperanto para a revista Reformador e pelo livro “Ciência Divina” do espírito Jaime Braga, foi grande filólogo, linguista e poeta, ao qual devemos diversas traduções de obras de Allan Kardec e de Francisco Cândido Xavier para a língua internacional.

1943 – Julho – Rio de Janeiro, Brasil

Iniciada na revista Reformador a seção de versos doutrinários em Esperanto. A seção foi criada sob orientação do plano Espiritual através da médiunidade de Francisco Valdomiro Lorenz.

1947 – 3 de outubro – Brasil

Publicada pela FEB a tradução em Esperanto do livro “O Evangelho segundo o Espiritismo” (La Evangelio Laü Espiritismo), traduzida do francês por Ismael Gomes Braga.

1954 – Maio – Rio de Janeiro, Brasil

Primeira edição do livro “Memórias de um Suicida” de Camilo Castelo Branco, psicografado sob o pseudônimo de Camilo Cândido Botelho através da médium Yvone A. Pereira. Este livro traz uma descrição do plano espiritual, corroborando informações de André Luiz e outros espíritos, porém centralizada nas experiências pessoais do autor, suicida em sua última existência. Uma obra prima da literatura mediúnica, este livro também surpreende ao citar em seu capítulo final a importância dada no plano Espiritual ao estudo do Esperanto.

1959 – 19 de janeiro – Uberaba, Brasil

O espírito Francisco Valdomiro Lorenz dita ao médium Francisco Cândido Xavier a mensagem “O Esperanto como Revelação”. Fonte: Affonso Soares, diretor da FEB

1964 – Rio de Janeiro, Brasil

Publicada pela FEB a tradução em Esperanto do “O Livro dos Médiuns” (La Libro de la Mediumoj), traduzida do Francês pelo Prof. L. C. Porto Carreira Neto e por Ismael Gomes Braga.

1971 – Kyoto-hu, Japão

É publicada a edição em japonês de “O Livro dos Espíritos” pela editora Tenseisha K. K. de Kameoka, Kyoto-hu, Japão. A tradução para o japonês foi feita pelo prof. Yoshimi Umeda a partir da versão em Esperanto do prof. L. C. Porto Carreiro Neto L. K., editada pela FEB.

1976 – Janeiro – Brasil

Lançado o livro bilíngüe “O Esperanto como Revelação – Esperanto Kiel Revelacio” de autoria do espírito Francisco Valdomiro Lorenz (1872-1957) através do médium Francisco Cândido Xavier. Esse livro é um importante depoimento em favor da língua internacional e de seu papel nos planos da Espiritualidade Maior para o progresso da nossa humanidade.

1977 – 4 de dezembro – Rio de Janeiro, Brasil

Por iniciativa de Francisco Thiesen, então presidente da FEB, inicia-se o programa radiofônico “Espiritismo, Esperanto, Evangelho”, transmitido até os dias de hoje pela Rádio Rio de Janeiro (1400 Khz).

1979 – Junho – Japão

O esboço biográfico “Quem é Divaldo Pereira Franco”, de autoria de Herminio C. Miranda e Ely Donato é publicado em japonês na revista espiritualista Psychical Research and Spiritualism. O texto foi traduzido da versão em Esperanto feita em 1978 por Benedicto Silva para a revista esperantista japonesa OOMOTO.

1990 – Havana, Cuba

Iniciada a divulgação da Doutrina Espírita em terras cubanas com a visita de Clovis Alves Portes – de Ipatinga, Minas Gerais, Brasil – como prêmio de um concurso promovido pela Rádio Havana na ocasião do 75.o Congresso Internacional de Esperanto. Em sua bagagem estavam cerca de 200 livros espíritas. A partir de então Clovis estabeleceu contato com pessoas interessadas na doutrina, incentivando a criação de grupos de estudo do “Evangelho no Lar”. Seguiram-se outras visitas com a apresentação de conferências sobre a Doutrina.

1981 – julho – Brasília, Brasil

Evento promovido pela FEB na sua Sede Central, dentro do programa do 66º Congresso Universal de Esperanto, o primeiro a se realizar no hemisfério sul. Fonte: Affonso Soares, diretor da FEB.

1987 – julho – Varsóvia, Polônia

Evento promovido pela FEB em Varsóvia, dentro da programação do 72º Congresso Universal de Esperanto, comemorando o Jubileu Centenário do Esperanto. Fonte: Affonso Soares, diretor da FEB.

1991 – Brasil

Criação do Departamento de Esperanto da FEB, que sucedeu o Serviço de Propaganda do Esperanto, que teve origem à época de Ismael Gomes Braga. Fonte: Affonso Soares, diretor da FEB.

1999 – 8 de setembro – Salvador, Brasil

O Espírito do grande pioneiro Ismael Gomes Braga ditou ao médium Divaldo Pereira Franco em 1999, sob o título “A Missão do Esperanto no Terceiro Milênio”. Fonte: Entrevista com Affonso Soares – FEB – 2012.


espiritismo-retornar