A língua que veio do céu

No livro “A língua que veio do céu – o que os espíritos falam do Esperanto”, o espírita e qualquer curioso sobre o assunto pode encontrar uma riquíssima coletânea de textos que vão desde trechos de obras espíritas, passando por psicografias, até a transcrição de psicofonias em que os comunicantes do mundo espiritual informam sobre o uso desse idioma em colônias de além-mundo, assim como o exaltam por meio de poemas, encorajando os adeptos do Espiritismo a aprendê-lo. Tratam também de seu importante papel como língua da fraternidade, destinada a contribuir para que os diferentes povos do mundo deem-se as mãos, num clima de concórdia profunda e plena de paz.

Contudo, ao trabalhador espírita e esperantista, sobretudo ligado ao campo da divulgação da doutrina, chama a atenção um curioso depoimento de um espírito cujos vínculos o fazem preocupar-se fortemente com o leste europeu e a situação de muitos irmãos encarnados naquela região, que, sem nutrir sentimentos de religiosidade alguma e entorpecidos pela acachapante força da “razão” materialista, resvalam nos despenhadeiros da desesperança, muitas vezes entregando-se à vida e futuro funestos. Ele, comoventemente, apela aos espíritas: “divulgai essa consoladora doutrina entre nossos irmãos distantes por meio do Esperanto”.

Sua mensagem, mais do que servir à curiosidade, é um pedido sério, talvez uma rogativa inconsciente de muitas almas suspirantes por uma luz de esperança que lhes forneça maior significação à própria vida. E aqui não fazemos prosélito de fundo teórico e escatológico, mas observação com finalidade prática, a fim de que aqueles que dispõem de conhecimento e possibilidades, divulguem sempre que puderem o Espiritismo em esperanto.

No Esperanto em Destaque da edição 298 de O Consolador, apresentamos o caso de como a tradução de uma obra espírita, recentemente vertida ao húngaro por meio do esperanto, demoveu um homem do suicídio. Pois, é também sobre isso que se trata a mensagem do espírito ligado às paragens eslavas.

Esperantistas espíritas, sob os bons auspícios da espiritualidade, com o Evangelho, o Espiritismo e o Esperanto como diretrizes de nossas ações, que possamos fazer algo em favor de nossos irmãos a quem já podemos nos ligar por meio das verdes pontes construídas a partir das sólidas bases edificadas por Zamenhof em favor do entendimento fraterno!

À Guisa de Apresentação – A língua que veio do céu Escreve Affonso Soares:

“De há muito se impunha uma iniciativa como esta: reunir em livro as páginas que, em Esperanto e sobre o Esperanto, o mundo espiritual tem enviado à Terra como constante exortação a que os espíritas do Brasil mantenham o estudo, a divulgação e o uso da Língua Internacional Neutra como parte integrante do programa de ação do Movimento Espírita Brasileiro.

Graças a essa produção mediúnica, rica na forma e na essência, observa-se, ao longo dos 60 anos decorridos após o aparecimento, em 19/01/1940, da mensagem A Missão do Esperanto, de Emmanuel, uma sequência de realizações em nossos círculos espíritas, reveladoras de um planejamento superior, visando às edificações do futuro.”

Para ler o texto na íntegra:
http://www.kke.org.br/livraria/lingua_que_veio_do_ceu

Fonte: Esperanto em destaque nº 300 – Revista eletrônica O Consolador


espiritismo-retornar